Reblog This
Potricentrismo e neologismos do amor….

POTRESKO,

As palavras podem ser soltas e soltas querem não estar só.

É assim com corpos. São únicos e vivem solitários. Todos à espera, à procura de uma união.

É assim com ALMAS. Elas, mais do que corpos, são singulares. Não sozinhas. Pertenceram e pertencerão a outras moradas. Mesmo assim, aprendem muito mais no encontro da sua completude.

Meu outro amor, nosso outro lado.

É como um eterno quebra-cabeça que quando as partes se encontram tudo há de se entender.

É assim entre você e eu. Nós!

POTRICENTRISMO à flor da pele. Movimento de viver.

Nossos corpos e nossas almas se unem para assim dominarmos nossos mundos.

Só existe “nós” e “nós” somos exemplos pra “outros” pares.

Imaginamos.

Corpos, almas e outras palavras, pois “nós”, meu peteno potro, “NÓS” AMAMOS NEOLOGISMOS DO AMOR!

Bárbara Dourado, sobre conversas no banho, “nós” igual a você e eu ou não.

17 de Outubro de 2013.


Reblog This
Asleep tocando ao fundo…

Uma leitura que me arranca sorrisos tímidos de canto, sorrisos de identificação, de um livro por indicação.

Um texto romântico.

Cartas para alguém contavam os sentimentos mais íntimos e mais inocentes que se poderia ter.

Era sua vida, seus sentimentos em palavras.

Emocionei-me enquanto imaginava tudo perfeitamente com a mesma emoção de quem escrevia.

É! Foi assim que me flagrei com os pensamentos em você.

As emoções do que lia se transformaram na lembrança do que tenho comigo.

Meu amor, meu peteno!

É que tudo nessa vida me faz lembrar você.

É grande, intenso e me parece tão eterno, tão infinito.

Às vezes, muitas vezes, creio que tudo isso que sinto, eu já senti algum dia, por um alguém que com certeza era você em outros corpos.

Não consigo acreditar que isso seja só presente.

Quero que isso seja uma relação de passado, de agora e de PRA SEMPRE.

Vejo seus olhos preocupados e tristes em tudo e nesses momentos meu coração aperta.

É difícil explicar, nunca consigo achar palavras pra descrever com veracidade e com a veemência que esses momentos possuem.

Mas é como se algo que fica no meio do meu peito se enchesse e ficasse procurando um canal para sair.

Canal lacrimal, nem sei se é esse o nome…

E nem me importo, só queria ter certeza que eu me fiz entender.

Gostaria de ter certeza sobre tudo o que nos envolve, e quanto mais penso nisso mais me deixo levar pela triste melodia no repeat…

"Cante pra eu dormir" e NÃO ME DEIXE SOZINHA.

NUNCA!

Bárbara Dourado, sobre suas leituras, amor, melodias ou não.

Cidade Ocidental, 10 de outubro de 2013.


Reblog This
"[…] muitas coisas que acreditamos saber, nós somente acreditamos […]"
História da Pedagogia - De Platão à atualidade, do Prof. Dr. Winfried Böhm. Página 44.

(Fonte: soufrigideira)

Reblog This
E quando a gente se mostra…

Sempre ouvi, a minha curta vida toda, mas nem tanto assim, algumas muitas críticas, gracinhas, brincadeiras, todas muito cruéis sobre alguém que eu realmente sou.

Passei então, a me sentir eu sem ser eu mesma. Maquiagens encobrem minhas características quase que totalmente paternas, a chapinha estica aquilo que herdei da minha mãe, e nessa destruição do meu eu, fui me criando, fui crendo.

A criação gerou fadiga. Cansaço de se ser quem não se é. Cansaço da burrice. Mas ainda faltava coragem, pois os fantasmas do ensino médio ainda insistiam em me visitar.

Fato é que existem  pessoas que eu amo e que me amam também, mas será quem essas pessoas amam? Elas amam “eu” ou elas amam a manutenção do que construí para ser o que chamo de eu?

Fiz o teste! E num é que essas pessoas gostavam do meu eu maquiado e chapado?!

E quando a gente se mostra, mas ninguém gosta?!

É que doí tanto…

Bárbara Dourado, sobre suas experiências fictícias ou não.

07 de outubro de 2013.


Reblog This

Solange - Lovers In The Parking Lot (Official Video)

 

Nem precisava ser irmã da Beyoncé pra ser INCRÍVEL!!!

 

(Fonte: soufrigideira)

Reblog This
Da série: #coisas que lemos por aí…                                             Com @esmeraldahannah  (em Recanto das Emas)

Da série: #coisas que lemos por aí… Com @esmeraldahannah (em Recanto das Emas)

Reblog This

Alma Gêmea (Part: Rafa Kabelo)


Emicida

Uma dose só dividida em dois copos
Uma alma só dividida em dois corpos
Eu sei o melhor, se você tá, eu topo
Eu colo em teu colo

Trate-as como ladys, não como gagas
Honey baby, boa de afagar
Que eu quis, feliz, sonhei, pensei
Ser feliz é bem melhor que ser rei
Hey, hey, hey, menina
Digo ó, até no signo, viu só, nóiz combina
Teu beijo merlot e o riso de pérola fina
Me ganhou, ilumina a retina
Ai, essa sua boca de açaí, meto a roupa de sair, bala
Invadiria até pesadelos pra salvá-la
Pra ser teu, camafeu, bom malandro ou nerd
Um olhar desse seu, gps se perde

Uma dose só dividida em dois copos
Uma alma só dividida em dois corpos
Eu sei o melhor, se você tá, eu topo
Eu colo em teu colo

Na de ser sua família, teu Hector Bonilha
De fé, ter você, minha Mulher Maravilha
Viver um conto de fada, história encantada
Outros caras querem te ligar, mas você já tá ligada
Casamento é coração, vidas em lua de mel
Se livrar da solidão, de vagar aí ao léu
Quero pegar sua mão, depois fazer meu papel
Riscar estrelas no chão pra ti passear no céu

Uma dose só dividida em dois copos
Uma alma só dividida em dois corpos
Eu sei o melhor, se você tá, eu topo
Eu colo em teu colo

Reblog This
Eu acordei e nao tinha ninguém em #casa, maaas tinha essa farta mesa de #café da #manhã especial de aniversário =9 Coisas que a minha #mãe faz… (em Super Quadra 19)

Eu acordei e nao tinha ninguém em #casa, maaas tinha essa farta mesa de #café da #manhã especial de aniversário =9 Coisas que a minha #mãe faz… (em Super Quadra 19)

Reblog This
Nossa #esperança é cor de #rosa. (em Giraffas)

Nossa #esperança é cor de #rosa. (em Giraffas)

Reblog This
Primeira Conferência Intermunicipal de Meio Ambiente de Cidade Ocidental. (em Assembleia de Deus de Cidade Ocidental)

Primeira Conferência Intermunicipal de Meio Ambiente de Cidade Ocidental. (em Assembleia de Deus de Cidade Ocidental)

Reblog This
Outras vezes…

É que algumas vezes me sinto imbatível. Falo alto. Leio bastante. Compartilho opiniões. Faço to do list. Conserto minha postura. Coloco clareza em minha voz. Testo look em frente ao espelho quase que me sentindo uma it girl…

Mas é que outras vezes me sinto fraca. Sinto vontade de ficar dias inteiros embaixo dos lençóis. Falo baixinho e bem mansinho. Tenho dúvidas, muitas dúvidas. Fico de mal com o corpo que habito e me debulho em lágrimas, enquanto ouço músicas tristes no repeat.

É que algumas vezes digo que estou bem com um sorriso de canto. Me sinto feliz em passar horas finitas com meu amor. Dou gargalhadas ao ouvir uma história sem graça. Chamo-me de “Super Sexy” e essa alcunha em minha mente vem sempre acompanhada por aspas…

Mas é que outras vezes choro pensando que também tenho momentos felizes. Fico aflita com a menor possibilidade de perder aquele que amo e que faz eu me sentir amada. Posso ser agressiva, enquanto engulo prantos por dentro.

É uma intensa dualidade, onde felicidade e tristeza constroem suas vidas, percorrem trajetos dentro de mim.

E eu vou vivendo em outras vezes, onde a felicidade mora em segundo plano. Ela rasteja.

Bárbara Dourado da Silva, estudante de pedagogia na UEG.

21/08/2013


Reblog This
Gagart - Applause (Live VMA 2013)

(Fonte: youtube.com)

Reblog This
Reblog This

Tais Alvarenga - Ainda Penso

 

Descobri o Sarau por intermédio de uma amiga e FIQUEI APAIXONADA ♥

Ele reúne os novos nomes da MPB, entre eles, de cara, tive amor por essa canção da Tais Alvarenga.

Clica aí que é amor, MUITO AMOR ♥

(Fonte: soufrigideira)

Reblog This
Foi-se o tempo…

Era uma época onde “vou ficar pra sempre aqui” saía da minha boca com uma naturalidade quase que infantil…

Na verdade, eu era infantil. Era apenas uma criança e me via num mundo onde tudo se resumia aos afazeres da escola e aos cuidados com as minha infinitas coleções.

Não brincava, mas adorava arrumar todas as coisas que guardava, de forma organizada. Eu era feliz ao fazer isso. Tinha preguiça de arrumar casinha e isso diz mais sobre mim do que qualquer um pode imaginar…

Foi-se o tempo e com ele foram-se algumas lembranças e no lugar ficou o que vejo hoje, o que sinto agora, o que penso querer…

Pra já!

Pra ontem!

Mas nunca pra sempre, pois ainda direi: “FOI-SE O TEMPO ONDE MEU LUGAR ERA AQUI!”, mesmo que esse lugar já não seja o mesmo de ontem…

Bárbara Dourado.